Meu Perfil
BRASIL, Sul, PASSO FUNDO, CENTRO, Homem, de 36 a 45 anos, Spanish, English, Arte e cultura, Livros
MSN -



Histórico


Categorias
Todas as mensagens
 Link


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


 
PABLO MORENNO


EMEF CEL. SEBASTIÃO DA ROCHA

 Esse foi o evento da EMEF Coronel Sebastião Rocha, organizado pela professora Singrai Stradiotti, pela equipe de professores,entre elas, Laure e Brunetto e Márcia e a equipe diretiva: diretora Dirlei e a coordenadora Ivana. Encontro lindo, emocionante e divertido! Os alunos cantaram muito as músicas poemas do "Menino Esquisito".

Trabalho prévio, confeccionar as tartaruguinhas inspirados no meu poema A TARTARUGA TATARAVÓ.




Escrito por Pablo Morenno às 10h52
[] [envie esta mensagem] [ ]



EMEF CEL. SEBASTIÃO DA ROCHA

 Esse foi o evento da EMEF Coronel Sebastião Rocha, organizado pela professora Singrai Stradiotti, pela equipe de professores,entre elas, Laure e Brunetto e Márcia e a equipe diretiva: diretora Dirlei e a coordenadora Ivana. Encontro lindo, emocionante e divertido! Os alunos cantaram muito as músicas poemas do "Menino Esquisito".

Trabalho prévio, confeccionar as tartaruguinhas inspirados no meu poema A TARTARUGA TATARAVÓ.




Escrito por Pablo Morenno às 10h52
[] [envie esta mensagem] [ ]



ESCOLA ROMANA GOBBI

A convite da prof. Evania Calza estive na sexta, 16/08, na Escola Romana Gobbi, Lot. Santo ANtonio, em Passo Fundo, para conversar com os alunos sobre meus livros e sibre leitura. O projeto se chama CAFÉ LITERÁRIO e sempre convida algum escritor para participar. 

Trabalhos CASA MÁGINA e SERPENTE TINA



Escrito por Pablo Morenno às 10h46
[] [envie esta mensagem] [ ]



À PROVA DE FOGO

À PROVA DE FOGO

 

 

Quatro alunos,  entre 14 e 17 anos, resolveram comemorar o dia do estudante de um modo criativo: ateando fogo à escola em Eldorado do Sul.

Ao delegado: “Nóis queria quebrar tudo pra não ter aula na segunda. Intão achemo o álcool. Quebremo tudo e botemo fogo”.

Que ideia! No meu tempo se falsificavam bilhetes dos pais. Fogo na escola não. Mesmo  com preguiça de fazer oito quilômetros a pé, escola era melhor  que enxada.

Complexo tema. Perguntei aos  alunos no Facebook: 1- O que vocês detestam nas aulas, ou na escola, e que desmotiva ir? 2- Como vocês gostariam que fosse a escola e as aulas para que ir não fosse uma obrigação? 3- Por qual razão vocês acham que esses jovens não queriam ir à aula no dia seguinte?

1) Aulas chatas, professores ruins, escolas sem estrutura, conteúdos sem nexo com a realidade, preguiça, outras coisas interessantes para fazer, trabalho e cansaço; 2) Aulas interessantes, professores criativos, escolas  boas, conteúdos mais reais, utilização de mídias atuais; 3) Revolta, insatisfação, falta de vínculo com a escola e professores, falta de significado da escola na vida.

Alguns conceitos se enfrentam: “educação x conhecimento”,  “prazer x satisfação”.

Educação: capacidade  de se viver em sociedade, de se relacionar com os outros e instituições;  esta conduta é lapidada pela família e por todos os ambientes sociais, mas não essencial à escola. Conhecimento: aquisição de informações das ciências, experiências que a humanidade acumulou do mundo e da natureza;  seria a função primeira da escola, embora se adquire  em qualquer lugar.

O jovem é produto da sociedade (hedonista), que prioriza o prazer.  O prazer é imediato e efêmero, a satisfação é mediata e duradoura. Não há prazer pra um jogador treinar obsessivo, ganhar o jogo é satisfação. Prazer não é trabalho árduo de pai pra pagar  faculdade do filho, formatura é satisfação. Escola pode não ser prazer, mas se tem satisfação  preparar-se pra o mundo. Uns entendem, outros não.

Este olhar de educação/conhecimento e satisfação/prazer extraí dos comentários. Não busquei especialistas sobre o tema. Apenas relato.

Apesar de trágico, o incêndio me trouxe esperança. Nem sempre começar das cinzas é ruim. Talvez a escola que temos precisa realmente passar por uma prova de fogo.

Foi um milagre os livros não terem sido atingidos. Agora estamos recolhendo todos os exemplares ...— afirma Silvana Andriotti, vice-diretora da escola.

  Como em Alexandria, com alguns livros sobrevivendo ao fogo, a escola já tem sua pedra angular.

                                                                     PABLO MORENNO

                                                                   *Ilustração Leandro Malósi Dóro

Texto publicado em 17.08.2012 no jornal  O NACIONAL de Passo Fundo-RS e Visão da Notícia de Nonoai-RS.



Escrito por Pablo Morenno às 10h40
[] [envie esta mensagem] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]